sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Moringa e Chocolate "Made in Haiti" chegam ao Mercado Norte-americano

Porto Príncipe, 25 de fevereiro de 2016.
Por Haiti Libre
Moringa e Chocolate "Made In Haiti"
Foto: haitilibre.com

Dois novos produtos haitianos estreiaram no mercado Norte-americano no começo de fevereiro através da Rede "Whole Foods Market", em escala nacional: a "Moringa Green Energy", das Indústrias Kuli Kuli, e as barras de chocolate "Taza Chocolate". Os ingredientes destes dois produtos são comprados diretamente de pequenos produtores agrícolas do Haiti. Este acesso direto ao Mercado, combina ajuda aos agricultores melhorando e desenvolvendo suas capacidades, o que significa um aumento da renda, e beneficiamento dos consumidores nos Estados Unidos de produtos de alta qualidade.

No caso da Moringa, a pioneira é a Organização sem fins lucrativos "Smallholder Farmers Alliance (SFA)", com o apoio da Fundação Clinton. E para os grãos de cacau utilizados na fabricação das barros de chocolate, é a Companhia "Produits des Iles S.A (PISA)".

"Nós ajudamos a conectar os agricultores haitianos diretamente aos mercados de exportação", declarou Hugh Locke, presidente da SFA. "Assim, o fornecimento de serviços como sementes selecionadas, adubos e formação os ajuda a melhorar a gestão das suas empresas, especialmente diante da seca. Estes serviços agrícolas são oferecidos para os agricultores que plantam árvores, que em contrapartida, contribuem para diminuir o grave desmatamento no País".

As folhas da Moringa entraram para o panteão dos super-alimentos em razão da sua quantidade excepcional de proteínas, como também, pelas 27 vitaminas e 46 antioxidantes. Uma das plantas mais cheias de nutrientes do Planeta. Cerca de 80 mil moringueiras são cultivadas por pequenos agricultores no Haiti. Uma Rede de Cooperativas de Mulheres Camponesas limpam e tratam as folhas, as transformando em pó, o qual é bastante solicitados pelos consumidores haitianos e americanos. A empresa Kuli Kuli faz a otimização desta produção para obter a "Moringa Green Energy" que é comparado ao "Smoothie Vert" que contém cafeína.

O cacau é cultivado no Haiti há bastante tempo, e seus produtores sempre o utilizaram para a fabricação de chocolate, porém, com baixos benefícios para os pequenos agricultores, os quais, historicamente, sempre foram os produtores primários. A "Taza Chocolate" está engajada para mudar esta situação, sendo a primeira fabricante americana a importar o cacau orgânico do Haiti, de primeira qualidade. Em seu programa de comércio direto, a Taza paga duas vezes a mais que o preço exigido pela certificação "Fair Trade", pelo cacau cultivado pelos quase 1500 pequenos agricultores que estão gestando de maneira durável mais de 2 mil acres de terra certificadas biologicamente.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

A Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe completa 180 anos


Le Nouvelliste, 1º de fevereiro de 2016.
Por: Louis-Joseph Olivier
Tradução: André Souto Bahia


A Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe celebrou seus 180 anos de existência no último domingo 31 de janeiro. Um culto de ação de graças foi organizado no templo localizado na Rua "de la Réunion". Uma ocasião para os líderes da assembléia e da comunidade protestante unirem suas vozes aos membros da Igreja em um concerto de louvor e ação de graças a Deus.

Pr. Josué Mathieu - Presidente da PIB de Porto Príncipe.
O santuário da Rua "de la Réunion" estava lotado no domingo 31 de janeiro. Os membros em suas melhores roupas, e os convidados especiais, disputavam um lugar antes do começo do segundo culto. O ambiente não era o habitual com o interior do templo repleto de rosas. A PIB de Porto Príncipe, a maior congregação batista do País e do Mundo Francofônico, estava pronta para celebrar seus 180 anos de existência.

Os responsáveis da Igreja, que pertence à Convenção Batista, os representantes das Igrejas irmãs, das missões e das Instituições Evangélicas ocuparam seus lugares ao lado do colégio pastoral dirigido pelo Reverendo Pastor Josué Mathieu. "Uma Igreja construída sobre a Rocha", foi o tema escolhido para esta celebração solene realizada com muitos cânticos de louvor, salmos e gritos de "Aleluia", semelhante ao texto de ação de graças lido pelo pastor Wadestrant Jean Baptiste, Deão do Seminário Teológico Evangélico de Porto Príncipe. Junto a tudo isso foi oferecido um concerto de louvor pelos grupos de cânticos e corais presentes.

A Mensagem Oficial foi pronunciada pelo Rév. Dr. Moïse Joël Dorsainvil, que exortou a Igreja cumprir sua missão de evangelização por toda Porto Príncipe e por todo o País. Ele afirmou: "porque o número de anos não os coloca à salvo diante das tentações do mal". O pastor Dorsainvil elogiou, particularmente, a fraternidade e o amor que caracterizam a Assembléia da Rua "de la Réunion" à qual chamou de comunidade do amor e do serviço.

Sua bela história teve início em uma manhã de janeiro de 1836. O pastor e missionário afro-americano William Monroe, e outros doze irmãos e irmãs realizaram o primeiro culto na casa do pastor Monroe. Depois, a PIB de Porto Príncipe não parou de crescer independente do tempo e das circunstâncias. Ao longo da sua história, a Igreja foi dirigida por uma série de líderes que marcaram o meio evangélico e a sociedade haitiana por sua competência e dinamismo. Entre estes, destacamos o Dr. Ruben Marc, uma das mais importantes figuras do protestantismo haitiano do Século XX; o Pr. Fritz Fontus, a voz de outro do protestantismo haitiano; como também o Dr. Charles Poisset-Romain, e o Reverendo Pierre Amos Gabaud, reconhecido por seu rigor e sua grande contribuição para o crescimento da congregação.

Templo da PIB de Porto Príncipe durante o Culto de Ação de Graças pelos seus 180 anos de fundação.

"Depois de 180 anos, uma grande nuvem de testemunhas, seis gerações de homens, mulheres, jovens e crianças responderam e não cessam de responder ao chamado do Mestre, escrevendo nos anais desta congregação jubilosa suas páginas de ouro", declarou o Dr. Charles Poisset-Romain, membro do corpo de anciãos da Igreja durante sua homenagem. Do alto dos seus 180 anos, o Pr. Romain descreve a PIB de Porto Príncipe como uma "comunidade sempre bela, educadora, próspera e vitoriosa.

O presidente da Federação Protestante, Pr. Sylvain Exantus, esteve presente. Ele aproveitou para saudar o ministério desta Igreja. "Primeira Igreja Batista de Porto Príncipe: a Federação Protestante do Haiti é reconhecedora do ministério eficaz que vocês tem exercido no País, e nós nos orgulhamos muito de tê-los como um dos nossos membros através da Convenção Batista do Haiti", sinalizou o presidente da FPH em seu discurso agradecendo o trabalho realizado pela congregação da rua "de la Réunion".

Estes 180 anos de história não foram todos fáceis. A Assembléia conheceu horas difíceis ao longo do percurso. Recentemente, em 2014, o templo passou próximo de ser saqueado por conta das demolições de áreas do centra da Cidade. Em seguida, o templo, isolado em uma região perigosa, se viu diante da insegurança de várias formas. O principal pedido do Pr. Josué Mathieu às autoridades do País é pelo patrimônio desses 180 anos: "que o Estado possa definir um perímetro de segurança em torno do edifício". Um grande gesto que irá ajudar a proteger seu patrimônio.

As atividades em comemoração aos 180 anos de fundação da PIB de Porto Príncipe acontecerão durante todo o ano, segundo o responsável pela comunicação da festa, Robenson Geffard: "Além deste culto oficial e da clínica móvel organizada na semana passada, nós iremos ter outras atividades como uma feira agro-artesanal, uma exposição de fotos retratando a história da Igreja, a realização de um documentário, entre outras" - informou Robenson Geffard à imprensa.