sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Reconstrução do Haiti: Assinatura de 4 acordos com um Empresa Chinesa

Matéria publicada em 25/09/2015 10:29:30, por Haitilibre.com.
Original em francês. Tradução: André Souto Bahia.


Haïti - Reconstruction : Signature de 4 accords avec une entreprise chinoise
Haiti e China assinam 4 acordos de cooperação


Quarta-feira (23/09/15), o Governo haitiano, através dos Ministérios do Setor Público e da Agricultura, assinaram um protocolo de intenções com a "China National Automation Control System Corp.", uma companhia de construção da República Popular da China, para a realização de 4 importantes projetos nos Estados do Norte, Noroeste e Oeste.

São eles:
  • Melhoria e expansão do corredor rodoviário entre Malpasse e Porto Príncipe (Rodovia Nacional #8) - trabalho estimado em 140 milhões de dólares;
  • Construção da Rodovia Nacional # 5, região de Carrefour Joffre (rodovia que liga Gonaives e Porto da Paz) - 80 km de rodovia, e estimado em 185 milhões de dólares (estudos já realizados);
  • Construção de um Teleférico ligando Labadie e a Citadela Laferrière; e, por fim...
  • Fortalecimento das infraestruturas agrícolas através do Ministério da Agricultura.
Durante seu discurso, o Ministro do Planejamento e Cooperação Externa, Yves Germain Joseph, parabenizou os esforços da República Popular da China em acompanhar o Haiti em seu processo de desenvolvimento. Ele igualmente mencionou que vários outros grandes projetos serão executados em cooperação com a República Popular da China durante os próximos anos, como a reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Toussaint Louverture (na capital Porto Príncipe).

Já o Representante Comercial da República Popular da China, Lind Jun, reinterou a vontade do seu país em continuar apoiando o Haiti nas áreas de infraestrura, energia e agricultura. Ele também disse estar desejoso que esta cooperação reforço ainda mais o bem estar entre as duas repúblicas.

"A execução desses projetos permitirá ao Haiti ser mais competitivo no turismo e mais apto à responder às necessidades fundamentais da sua população", conclui o documento assinado pelos representantes dos dois países.
Postar um comentário