quinta-feira, 28 de novembro de 2013

República Dominicana retira embaixador do Haiti

G1

Haiti ajudou a adiar entrada dos dominicanos no Caricom.
Motivo é conflito migratório entre os países vizinhos.


Da AFP



O governo da República Dominicana convocou na quarta-feira (27) para consultas seu embaixador no Haiti, após a participação de Porto Príncipe na decisão do Mercado Comum Caribenho (Caricom) de adiar a entrada de Santo Domingo.

O governo dominicano também cancelou um encontro com representantes haitianos previsto para sábado em Caracas.

"Nos vemos na obrigação de convocar para consultas nosso embaixador no Haiti para tratar deste tema com cuidado que merece", disse o vice-chanceler José Manuel Trullols ao embaixador haitiano em Santo Domingo, Fritz Cineas, segundo um comunicado do ministério das Relações Exteriores.

"O governo da República Dominicana está altamente preocupado com o desconhecimento demonstrado pelo governo haitiano da Declaração Conjunta assinada pelos dois países na semana passada para buscar soluções aos problemas bilaterais, como o conflito migratório."

Após a assinatura do acordo, o Haiti "empreendeu ações contrárias a esta declaração, como ficou evidenciado na recente reunião do Caricom", completa o texto.

O Caricom anunciou na terça-feira a suspensão da análise do pedido de entrada da República Dominicana, até a adoção de medidas para resolver o conflito migratório com o Haiti.

O Tribunal Constitucional (TC) da República Dominicana negou, em uma decisão de setembro, a nacionalidade aos filhos de imigrantes ilegais, em sua maioria haitianos.

Trullols criticou as declarações do chanceler haitiano, Pierre-Richard Casimir, que teria afirmado que a República Dominicana deu uma "interpretação livre" ao acordo conjunto assinado na semana passada, que prioriza o diálogo para a busca de soluções ante qualquer assunto da agenda bilateral.

Ele ressaltou que Casimir assinou a Declaração Conjunta ao lado do ministro da presidência dominicana, Gustavo Montalvo.

"O governo dominicano entende que, sob tais condições, é muito difícil seguir dialogando com os vizinhos, pois não respeitam os termos do que foi acordado na declaração", completou.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013


terça-feira, 5 de novembro de 2013

ONG evangélica envia 155 voluntários para o Haiti

Gospel Prime

Os jovens brasileiros ajudarão com trabalhos na área da saúde, educação e esporte
por Leiliane Roberta Lopes


ONG evangélica envia 155 voluntários para o Haiti

No mês de outubro a ONG “Conexão Voluntários em Campo” enviou durante o mês de outubro 155 voluntários para o Haiti. Brasileiros de todas as regiões do país aceitaram o chamado espiritual para prestar apoio aos haitianos.

A maioria dos voluntários tem entre 18 e 25 anos, jovens interessados em ajudar de alguma forma a população que sofre com a fome e as doenças, fruto do terremoto que assolou o Haiti em janeiro de 2010.

Os brasileiros aceitaram deixar suas casas para enfrentar cidades sem saneamento básico, iluminação, alimentação escassa e moradias precárias, tudo em nome de um propósito maior.

“Fizemos uma antes do terremoto e cinco após a tragédia que deixou toda a população numa condição de vulnerabilidade muito grande. Eu diria que enviamos uma média de 210 voluntários neste período, mas neste mês de outubro podemos dizer que atingimos um recorde que acredito será difícil de superar futuramente, pois numa só viagem são 155 pessoas”, disse o líder da ONG, pastor Marcos Grava Vasconcelos.

O pastor Grava afirma que os jovens que se interessam em ser voluntário no Haiti são aqueles que realmente estão dispostos a ajudar o próximo, pois o país não oferece atrativos. “O Haiti é um país que não tem um atrativo, principalmente para a juventude, portanto, os que seguem para lá são aqueles que querem realmente contribuir para minorar o sofrimento existente.”

Na área de construção de casas a ONG levou 12 voluntários.

Os 155 voluntários vão atuar nas áreas da saúde, educação e esporte. “No Haiti existe um médico para 30 mil pessoas. Nós sempre levamos médicos e dentistas desejosos de doar um pouco do seu tempo e talento para atender esta população. A área de educação também é muito necessitada, porque existe uma quantidade enorme de crianças no país e podemos fazer muito através do nosso pessoal”, explica o pastor.

Já o esporte terá como objetivo servir como lazer para jovens e crianças haitianos, como explica o líder da ONG. “Temos equipes para a realização de jogos juvenis, muitas atividades que envolvem as crianças, proporcionando momentos de descontração e alegria. Em todos estes trabalhos que realizamos podemos falar de Jesus às pessoas e ajudá-las a descobrir o caminho da salvação.”

Outro trabalho da ONG que merece destaque são os treinamentos na área civil, os haitianos recebem a capacitação profissional para poder reconstruir o país. Isso só é possível graças ao apoio de profissionais brasileiros que são da área e decidem servir de voluntários no país.