sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Haiti faz progressos e quer ser uma nação emergente até 2030

ISTOÉ Dinheiro

Governo haitiano informou à Comissão Europeia que o país progrediu

Por Agência Brasil

Foto: Mobilização Mundial

O governo do Haiti informou à Comissão Europeia, órgão político e econômico da União Europeia (formada por 28 nações), que o país progrediu em decorrência da aplicação dos recursos remetidos pelos europeus para ajudar a população. O Haiti já recebeu 85% dos 522 milhões de euros disponibilizados há três anos. Em janeiro de 2010, houve no Haiti o pior terremoto da história recente do país, registrando 7 graus na escala Richter.

“Fizemos enormes progressos nos últimos dois anos”, disse o primeiro-ministro do Haiti, Laurent Lamothe. “[O país sofreu] uma catástrofe de enormes proporções e agora luta não apenas para utilizar essa cooperação da melhor forma possível em favor do povo haitiano, mas também, de forma paralela, para voar com as suas próprias asas”, acrescentou.

Segundo ele, serão feitos investimentos nos setores aduaneiro e fiscal com vistas a aperfeiçoar os sistemas e adequá-los para investimentos externos. “O Haiti tem enorme futuro, enormes oportunidades de investimento”, disse Lamothe.

O primeiro-ministro destacou o “esforço considerável” do governo para garantir que 1,2 milhão de crianças e adolescentes tenham acesso à educação gratuita. Ele disse que é de “extrema importância” a ajuda europeia e garantiu a aplicação de nova estratégia “para que o país seja emergente em 2030”.
Postar um comentário