domingo, 11 de novembro de 2012

Um milhão de haitianos podem ter dificuldades de conseguir alimentos por causa do furacão

EBC | Internacional
ONU -02.11.2012


Haiti também registra grandes estragos após passagem de furacão Sandy
(Photo Logan Abassi UN/MINUSTAH)

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), entre 15 e 20 mil pessoas no Haiti tiveram suas casas completamente destruídas, danificadas ou inundadas após a passagem do furacão Sandy. Cuba, Jamaica, Bahamas e Estados Unidos também foram atingidos. A ONU ressalta que mais de 1 milhão de haitianos estão enfrentando “insegurança alimentar” como resultado da devastação causada pelo furacão. Isso significa que esse contingente de pessoas está em situação de vulnerabilidade em relação às condições de acesso a alimentos em quantidade adequada para a saúde.

O chefe de operação do escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha) no Haiti, Johan Peleman, disse que ainda estão sendo consolidandos os dados da destruição causada pela tempestade e um quadro completo levará algum tempo para ser concretizado. A situação causa mais preocupação porque o país foi atingido por um longo período de seca este ano, bem como por um outro furacão, o Isaac, que passou pelo país em agosto.

Os sistemas de água e saneamento terão de ser drenados o mais rápido possível, por conta da ameaça de um surto de doenças transmitidas pela água, especialmente de cólera. A doença ainda é endêmica no país e Peleman diz que é possível ocorrer um aumento nos casos de cólera. Há cerca de 1,2 milhão de pessoas em situação de insegurança alimentar no país, que já é a nação mais pobre do hemisfério ocidental e ainda se recupera do terremoto ocorrido em janeiro de 2010.

Veja algumas imagens divulgadas pela ONU sobre os estragos causados pelo Sandy no Haiti.
Postar um comentário