quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Diário do Pará - Pará | Militar morre de Aids após missão no Haiti

Para nossa reflexão...
O triste relato que você vai ler a seguir aponta para um dos maiores desafios para o Contingente Militar que atua pela MINUSTAH (Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti), especialmente, a Força de Paz Brasileira.
Muitos desses valorosos soldados da paz só conhecem a paz proposta pela Missão da ONU, mas continuam carentes da PAZ que excede todo o entendimento, a PAZ que não é conquistada ou sentida, a PAZ que é mais que pessoal, é PESSOA, é o CRISTO encarnado pelo Evangelho no cotidiano da vida, inclusive da vida militar em operação!
"Pai, que o Teu consolo, conforto e ânimo sejam superabundantes nesse momento de perda para essa esposa, filhos, parentes e amigos. E que a Paz que excede todo o entendimento alcance esses lares, e os corações dos companheiros de farda do Sd Raimundo Nonato."

Militar morre de Aids após missão no Haiti

Cinco meses depois de chegar da missão de paz ao Haiti, o o soldado Raimundo Nonato da Silva Junior, do 23º Esquadrão de Cavalaria de Selva de Tucuruí, morreu na manhã desta segunda-feira (24), na UTI do Hospital Regional de Tucuruí, após contrair o vírus da Aids.

O militar de 26 anos- há seis como soldado - esteve no Haiti de agosto de 2011 até abril de 2012. Raimundo deixou esposa e um casal de filhos. Segundo o que consta na Declaração de Óbito expedida pelo Hospital Regional de Tucuruí - HRT, o diagnóstico da causa morte foi à falência de múltiplos órgãos, em função da doença.

No mês de julho de 2011, 54 militares do 23º Esquadrão de Cavalaria de Selva de Tucuruí, seguiram para o Haiti compondo o 15º contingente da Companhia de Engenharia de Força de Paz no Haiti – BRAENGCOY.

Todos os militares passaram por baterias de exames no município de Marabá antes de embarcarem. Após a chegada todos os militares refizeram seus exames médicos. Raimundo Júnior, foi alertado para a realização de uma nova bateria de exames, devido a um problema identificado no primeiro exame.

No segundo exame, foi identificado o contágio viral no militar. O Exército orientou o militar a ter um acompanhamento no Centro de Testagem e Aconselhamento de Tucuruí – CTA, mas ele só compareceu ao local uma única vez, no dia 5 de setembro.

No Domingo (16), ele deu entrada no Pronto Socorro, com princípio de parada cardiorrespiratória, sendo encaminhado a Unidade de Tratamento Intensivo – UTI, onde a equipe realizou com sucesso sua reanimação, mas na manhã do dia 17, foi constatada a morte encefálica do paciente.

O soldado recebeu todas as homenagens militares em seu velório e sepultamento com a presença do pavilhão nacional, salva de tiros e silêncio em honra aos serviços prestados no Exército.

(Diário do Pará)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Conselho de Segurança debate relatório sobre situação no Haiti

Jornal do Brasil - Internacional


UN Photo

O Conselho de Segurança da ONU realiza nesta quarta-feira uma reunião para debater o relatório do secretário-geral sobre o Haiti. A ilha caribenha conta com a força de paz da ONU, Minustah, desde 2004. O componente mílitar é liderado, atualmente, pelo general brasileiro Fernado Goulart.

Entre os tópicos do relatório estão as preparações para as eleições legislativas, marcadas para o fim do ano no Haiti. O documento também menciona o combate à epidemia de cólera que já afetou mais de 580 mil pessoas desde outubro de 2010.

As Nações Unidas também estão analisando a redução de tropas de paz na ilha, uma vez que o país começa a retomar o controle da segurança.

A embaixadora do Brasil, Maria Luiza Ribeiro Viotti, falou sobre o papel do país neste processo como o maior contribuinte de tropas da Minustah.

"Nesse contexto, o Brasil irá, natualmente, adaptar seus contingentes em coordenação com o Secretariado da ONU e com os demais países que participam da Minustah. E isso é um desdobramento muito auspicioso que demonstra que o Haiti, pouco a pouco, volta à normalidade. Mas esta redução também é necessário que se faça de uma forma gradual para não prejudicar os avanços que vêm sendo obtidos."

O Haiti continua dependendo da ajuda internacional, mais de dois anos após o terremoto que afetou o país. Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, mais de 1 milhão de crianças em 3,2 mil escolas haitianas precisam de auxílio alimentar que vem do Unicef e do Programa Mundial de Alimentos, PMA.

Palácio Presidencial do Haiti é demolido para dar lugar a nova sede

G1 - notícias em Mundo

Edifício foi arruinado por tremor que matou 250 mil em 2010.
Objetivo é construir uma nova sede com as mesmas características.


Implosão do Palácio Presidencial do Haiti nesta quarta (12)
(Foto: Swoan Parker/Reuters)


Palácio Presidencial do Haiti foi totalmente demolido nesta quarta (12). Os trabalhos foram iniciados no dia 6 de setembro e devem durar três meses. O objetivo é construir uma nova sede do governo com as mesmas características que o prédio tinha antes do devastador terremoto que assolou o país em 12 de janeiro de 2010. Os gastos da obra serão arcados pela ONG do ator americano Sean Penn.

Depois que a demolição for totalizada, será iniciada a construção do novo edifício sob responsabilidade da empresa de arquitetos haitiana 'Georfe Baussan', responsável pelo projeto do Palácio durante a intervenção americana no país entre 1915 e 1934.

A reconstrução da sede do governo contará com adaptações antissísmicas, de acordo com as informações divulgadas pelo diretor-geral do Instituto de Salvaguarda do Patrimônio Nacional, Henri Robert Jolibois.


Ruínas do Palácio Presidencial do Haiti durante implosão
(Foto: Swoan Parker/Reuters)

Momento da implosão do prédio destruído pelo terremoto de 2012
(Foto: Swoan Parker/Reuters)

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Última chamada para o Conexão Haiti - Outubro 2012

JMM - Missões Mundiais:
Por Marcia Pinheiro 06 de setembro de 2012

Equipe do Conexão Haiti de Janeiro 2012

Seguem abertas as inscrições para a caravana Conexão Haiti, que acontecerá entre os dias 13 e 26 de outubro. Mais de 400 pessoas demonstraram interesse em seguir para o país mais pobre das Américas a fim de apoiar a obra missionária por lá. No entanto, até o momento apenas 20 pessoas estão prontas para seguir viagem.

O Pr. Marcos Grava, coordenador do Setor de Voluntários de Missões Mundiais, faz um pedido aos irmãos em Cristo que um dia sentiram o desejo de participar deste esforço divino de ajuda humanitária.

“Se, por algum motivo, você ainda não se apresentou, relembre o sentimento que um dia o fez nos procurar. Considere sua participação neste projeto voluntário”, disse.

A equipe terá intérpretes, portanto, o voluntário não precisa falar francês, o idioma oficial do Haiti.

Há uma grande necessidade por voluntários da área de saúde, principalmente médicos e dentistas. Por enquanto, a caravana tem apenas uma médica.

O prazo para a compra das passagens está chegando ao fim. Entre logo em contato com Missões Mundiais e garanta sua inscrição no Conexão Haiti. Esta é mais uma oportunidade que Missões Mundiais oferece aos cristãos brasileiros para impactar aquela nação, que ainda sofre as consequências do trágico terremoto ocorrido em 2010. Queremos também fortalecer as igrejas haitianas que lutam contra a opressão do vodu.

Para mais informações e inscrições, escreva para voluntarios@jmm.org.br.