segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Brasil apoia política de agricultura familiar no Haiti

PantanalNews

Experiência brasileira no setor será repassada

O Brasil vai ajudar o Haiti a elaborar um plano de apoio à agricultura familiar que una compras governamentais e assistência técnica. O projeto será desenvolvido no departamento de Nippes, a 100 quilômetros da capital, Porto Príncipe. A expectativa é que os mantimentos produzidos na região incrementem a merenda de 1,1 mil alunos em três escolas.

O modelo do projeto é semelhante ao Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) desenvolvido no Brasil. E os agricultores terão a orientação de profissionais nos moldes da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) – oferecida aos produtores familiares brasileiros. Em dois anos, o investimento será de US$ 600 mil.

Uma das características do PAA é propiciar a aquisição de alimentos de agricultores familiares, com isenção de licitação, a preços compatíveis aos praticados nos mercados regionais. Os produtos são destinados a entidades como escolas, restaurantes populares, cozinhas comunitárias e banco de alimentos e para famílias em situação de vulnerabilidade social.

Já os serviços da Ater, utilizada no Plano Brasil Sem Miséria, promovem a profissionalização no campo, respeitando as características de cada comunidade. A Ater oferece a inserção de novas tecnologias e métodos de execução de atividades agrícolas e priorizam a sustentabilidade local.

De acordo com levantamento dos consultores do governo brasileiro, 750 pequenos agricultores serão beneficiados. Os principais produtos com perspectivas de comércio são: abacate, arroz, banana, batata-doce, cana-de-açúcar, cenoura, chuchu, feijão-preto, inhame, laranja doce, limão, mamão, mandioca, manga, maracujá, melancia, milho e sorgo. No departamento de Nippes, a composição básica da merenda escolar é feita apenas com arroz, feijão, sal e óleo.

Escolas - Nippes tem população de 311.497 habitantes, dos quais 43,5% têm menos de 18 anos. Em 2011, a rede de ensino do primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental era formada por 489 escolas, 2,7 mil professores e 81,2 mil alunos.

Para 2012, com a proposta de educação universal do atual governo, foram criadas escolas públicas para permitir que crianças entre seis e 12 anos, até então excluídas do sistema escolar, possam ir à escola. A expectativa é que ocorra um aumento de 5,5 mil alunos nas escolas públicas de Nippes. Somente no distrito de Miragoâne, capital do departamento de Nippes, foram criadas 18 escolas, totalizando 44 unidades escolares públicas.

Como no Brasil, a sociedade haitiana decidiu inserir no texto de sua Constituição o acesso à alimentação adequada como um direito social.
Postar um comentário