quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Brasil discutirá imigração com autoridades haitianas

Reuters

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 18:31 BRST

RIO DE JANEIRO, 25 Jan (Reuters) - A entrada maciça de haitianos no norte do Brasil será um dos temas da viagem da presidente Dilma Rousseff ao Haiti, na semana que vem, disse nesta quarta-feira o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

O Haiti, país mais pobre das Américas, ainda se recupera dos efeitos do devastador terremoto de janeiro de 2010, que destruiu a capital Porto Príncipe e paralisou a economia local, elevando o desemprego e a pobreza, fator principal para a saída de haitianos.

"Isso aí, sim, é um tema da visita", disse Patriota a jornalistas.

O governo brasileiro regularizou a situação dos cerca de 4 mil haitianos que atravessaram ilegalmente a fronteira brasileira com a Bolívia e o Peru, no final de 2011 e início deste ano.

Para coibir a imigração ilegal, a embaixada brasileira passou a emitir 100 vistos condicionados por mês a haitianos interessados em residir no Brasil.

"Acho que o tema da imigração está bastante bem equacionado com a nova política de abertura a haitianos que queiram trabalhar aqui. Serão 1200 vistos por ano", disse.

Dilma e Patriota farão uma visita de um dia ao Haiti, no dia 1o de fevereiro, na primeira viagem internacional da presidente em 2012, num giro que incluirá também Cuba.

O Brasil lidera a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti, a Minustah, criada em 2004, e tem o maior contingente de tropas.

Ao ser questionado se pretendia se encontrar com a blogueira cubana Yoani Sánchez durante a visita a Cuba, Patriota disse que tomou conhecimento do apelo da dissidente cubana para se encontrar com Dilma, mas que "não tinha nada a declarar no momento sobre o assunto".

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Edição de Hugo Bachega)
Postar um comentário