quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Sacerdotes haitianos rezam conjuros contra maldição de Dessalines

Noticias de Prensa Latina

Porto Príncipe, 20 set (Prensa Latina) Como cada 20 de setembro, sacerdotes vudús fizeram hoje cerimônias por todo Haiti para pedir aos deuses o fim da maldição do imperador Dessalines, à que atribuem as calamidades do país.

Duas vezes ao ano realizam-se estas cerimônias religiosas, no dia do nascimento e o da morte do primeiro rei negro de Haiti, Jean-Jacques Dessalines, lutador pela independência devindo ditador.

Para os crentes, uma anátema proferida pelo escravo-militar, quando foi assassinado em 17 de outubro de 1806 por tropas de Henry Christhophe é, em parte, a causa das mil e uma penúrias que tem sofrido a nação caribenha. "Este país pagará por isto", contam os historiadores que gritou entre sangue o auto-nomeado imperador Jacques I. Desde então começou a lenda.

Assim, dezenas de pessoas atribuem a esse conjuro as sucessivas ditaduras, o terremoto de janeiro de 2010, ou a epidemia de cólera que, coincidentemente, apareceu em outubro, no mês quando foi assassinado.

Ninguém sabe ainda onde nasceu Dessalines, se em Guiné ou aqui, ainda que todos coincidem em que foi em 20 de setembro de 1758, faz hoje 253 anos.

Uma central rua e um boulevard de Porto Príncipe leva seu nome, e para acrescentar à crença, estiveram entre as zonas mais destruída pelo terremoto e das mais danificadas pelo cólera, ainda que os médicos atribuem isto último a sua cercania com o porto e à insalubridade prevalecente.
Postar um comentário