quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Detritos, um caminho complexo e oportunidades de emprego

PNUD - Haiti:


Haiti - Port-au-Prince - 28 jul 2011
"Para entender os desafios na gestão destas quantidades de detritos, devem ver, deve ser aqui no site. A realidade no terreno é bastante diferente. Temos de caminhar no local e não foi fácil, você não pode imaginar o que deve ser para trazer máquinas pesadas sobre a terra, as ruas para aceder ao site são estreitas. "Diz Jolita Butkeviciene, membro do IHRC.
Uma delegação de vinte pessoas poderiam visitar dois locais de gestão de resíduos no Carrefour Feuilles-, uma clareira canteiro de obras implementadas pelo UNOPS eo PNUD e coordenado por um manual de oficina de moagem instalada pela OIT.
A Rua Snipe, equipamentos pesados ​​e trabalho intenso de trabalho são combinados para remover cerca de 1000 metros cúbicos de detritos "Temos três equipes de 20 operários dia sobre um líder de equipe. Os trabalhadores vão limpar os lugares a escavadeira não pode alcançar ", disse Patrick Fleuridor, morador da rua Snipe e líder da equipe no local.
Cada equipe é composta por seis trabalhadores, um deles, Josée Emiol, 22, é responsável por completar os saltos de detritos e depositá-los em um carrinho de mão para que eles são depois transportados para as zonas de captação . "Tenho dois filhos é o pai deles que me disse que eles recrutaram aqui. Antes eu não fiz nada. Pelo menos ele me permite ter um pouco de dinheiro para tornar nossa vida mais fácil ", disse ela. Para que a comunidade se beneficie do projeto, "os trabalhadores são da mesma área ou outra área do distrito de Carrefour Feuilles-", disse o capataz. "Eu sou um professor e técnico no edifício. Antes da abertura deste projeto, eu não trabalho ", disse ele. Nesta área de Carrefour Feuilles-, as ruas são muito estreitas, mesmo a topografia do bairro torna o acesso muito difícil. Os escombros de casas que casas desabaram capa em bom estado, evitando a deslocação de muitos moradores. "
A Bredy, nas alturas do Carrefour Feuilles-, a OIT criou um manual de oficina piloto de britagem.A idéia é criar atividades que gerem emprego e renda a partir da reciclagem de detritos. Dois manuais são trituradores instalados e várias equipes trabalhando em rotação para realizar uma triagem minuciosa de escombros, para a produção de materiais de construção exclusivamente a partir de reciclagem. Eventualmente, seis locais de produção devem ser estabelecidas. A capacidade técnica de micro-empresas na área devem ser reforçadas e empregos sustentáveis ​​será criado.
"É fundamental que os nossos parceiros, governo, doadores e os meios de comunicação medir a complexidade de detritos no chão", disse Jessica Faieta, diretor sênior do PNUD no Haiti. "Assim eles podem ver as condições difíceis em que os projectos são implementados, apreciamos os esforços para capacitar as pessoas para retornar aos seus distritos de origem, e descobrir as iniciativas para criar empregos por meio de projetos de reciclagem detritos. "
Gestão de detritos é um processo complexo que envolve vários actores e diversas fases de execução, incluindo a identificação de locais para a mobilização de escavação, e participação das comunidades locais, a demolição de casas vermelhas e remoção de entulhos, transporte detritos e, finalmente, a reciclagem.
"Inicialmente, localizamos as organizações que já trabalham no campo e escolher um novo local.Durante este período, atenção especial deve ser dada às questões de propriedade e registros de terra que tornam a tarefa extremamente difícil. Esta primeira fase pode demorar muitos meses antes de chegar a um consenso ", disse Jean-Marie Duval, líder do projeto de gestão de resíduos em Port-au-Prince. "Equipamentos pesados ​​Segundo limpar os restos dos dois lados e nós recrutar trabalhadores do mesmo bairro para que eles coletam detritos e usá-los a reconstruir seus próprios bairros. Esta fase também é bastante complexo, porque a maioria dos locais os restos são facilmente acessíveis e estão localizadas em áreas vulneráveis. "
A remoção de entulhos é de fato apenas um ponto de partida para um programa para impulsionar a economia local e revitalizar bairros e comunidades através da criação de empregos a longo prazo.
"A coleta de detritos não é um fim em si mesmo. Parte dos destroços podem ter um ciclo de vida segundo e ser reutilizado para reconstruir o Haiti. Temos desenvolvido vários workshops para treinar artesãos locais e empresários de micro para a reciclagem de detritos e da sociedade de gestão, oferecendo-lhes a oportunidade para lançar um novo negócio ", diz Antonio Cruciani, coordenador da OIT no Haiti .
A Organização das Nações Unidas conjuntas para a gestão de resíduos na área de Carrefour Feuilles-em Port-au-Prince é financiado pelo Fundo de Reconstrução do Haiti (HRF), no montante de 16,9 milhões de dólares EUA. Abrange os distritos de Carrefour Feuilles-, São Geraldo, Lelio, Sanatório, Desprez e Morne Tuf. Até agora, mais de 15.000 metros cúbicos de detritos foram retirados da área e 1.609 empregos foram criados.

Uma estrada reabilitada em Tabarre transforma a vida de seus moradores

PNUD - Haiti


Haiti - Tabarre - 29 de agosto de 2011
"Eu m ' muito feliz que a estrada é acessível para novos. Tem um monte de problemas quandoele as chuvas , nós podemos mais sair de casa nós , nem receber o povo . Em menos em menosde pessoas freqüentando o nosso comércio a causa da condição da estrada e as poças de água para evitar qualquer movimento ", explica Djafna Desir , um morador do bairro .
Djafna vidas no centro da estrada Tabarre 15, ao lado da loja do mantimento da família comseus pais, irmãos e irmãs e primos. Eles estão ten e dependem todos de esta única comércio. Aimagem de Djafna , este é mais de 15 000 residentes da área que irá beneficiar a reabilitaçãoda estrada é um verdadeiro motor social e econômica para o distrito .
"A estrada foi sempre polvilhado de resíduos sólidos e entulhos de casas destruídas depois doterremoto de 12 de janeiro de 2010. A situação tem piorado com a chegada de deslocados queestão a partir deles refúgio , que tem significativamente aumentado o insalubres em tais áreas,explica François Michelet Jean, chefe do projeto da Organização para o bem-estar de criançascarentes eo desenvolvimento da comunidade ( OBEDDC ). "O lixo não coletado hurtle para baixonas ruas durante pesadas chuvas . O movimento de pedestres é quase impossível de tempochuvoso e as crianças têm problemas para ir à escola por causa da água em pé sobre o ".
Após três meses de trabalho para réhabilitationde estrada terra batida e saneamento , 2,5 kmtêm sido reabilitados , 1,7 km de drenos construídos , 2,5 km de valas de drenagem sacerdotes, 5 cassis construída e dois bueiros reforçado . O trabalho tem sido realizado por trabalhadoresempregados sob a esquemas àhaute intensivo de trabalho contratada ( LI ), este tem permissãopara empregar 171 moradores do bairro e eles fornecem também um recurso financeiro . Oprojeto tem sido financiado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em até 150.000 dólares em através de fundos da União Europeia e colocar em execução pelo o OBEDDC .
Além de que facilitar a vida dos habitantes da área, Tabarre 15 é útil para toda população. Eleconecta Rota Nacional 1 em altura das Missões-Croix-des, ea intersecção Clercine para Tabarreonde ele é muitas vezes o gargalos . Esta estrada é agora uma alternativa para descongestionaro tráfego . Mas ele é essencial para garantir a sustentabilidade o projeto de mais longo prazo .
"Ele é muito importante para garantir o monitoramento do projeto , se não o último trabalhoserá utilizado para nada . Se o trabalho de manutenção e de manutenção fazem é nãoregularmente realizada , esta estrada irá em breve ser pior no -lo novamente. Ela é organizadapela comunidade , vai assumir a proteger a estrada Adoquin ou em concreto , validação deprojetos .
Na verdade , uma estrutura de gestão permanente da estrada tem sido posto em prática peloprojeto e que é composta de membros da comunidade 's vizinhança . O Comitê de distritos éencarregado de colocar em prática as atividades de manutenção por fazer o rotações demembros do bairro .
A inauguração da estrada tem sido realizada esta quinta-feira 25 agosto , com o representantesdo Governo do Haiti e os vários parceiros envolvidos no do projeto .
"O trabalho tem sido feito com e para a comunidade através dos esforços combinação de todosos parceiros : os trabalhadores do distrito , os funcionários do distrito , o prefeito , a equipe técnica de o OBDECC e PNUD . Este projeto é a prova de que motivações reconstrução do Haiti " conclui Marc-André Franche , Executivo Adjunto do PNUD no Haiti .
O programa himo conjunta do PNUD , o PAM eo Governo do Haiti set na sequência do terramotode terra de 12 de janeiro de 2010, para uma finalidade de permitir que as pessoas afetadas edeslocadas para encontrar uma renda de subsistência no meio do trabalho de alta intensidade na mão para o trabalho . De janeiro 2010 a esta data, 140 projetos têm sido concluída em mais de 40 municípios e tem ajudado a criar perto de 160 mil empregos no curto prazo.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Gonzales vence semifinal dos 400m do do Mundial de Atletismo, Pistorius fica em último

Un parroco passa con i protestanti

Corriere Romagna .it

LO STRAPPO
Un parroco passa con i protestanti
Don Luca De Pero arriva a Cesena dal Montefeltro Il vescovo: «Un gesto gravissimo di attacco al dogma cattolico»

CESENA. Lascia la parrocchia di Montecerignone (Pesaro) e passa alla Chiesa evangelica protestante di Cesena. Don Luca De Pero lo ha annunciato domenica al termine della messa. Ieri la nota della diocesi del Montefeltro.
Mons. Luigi Negri, vescovo del Montefeltro, lo definisce «un gesto gravissimo di attacco al dogma cattolico e alla disciplina ecclesiastica. Ha assunto una posizione eretica quanto ai contenuti e scismatica quanto all’atteggiamento. Non è la Chiesa che lo esclude, è lui che si è autoescluso dalla comunione ecclesiale». Racconta che aveva avuto sentore di qualche frequentazione indebita di protestanti nella parrocchia e non più tardi di cinqued giorni fa era intervenuto in un lungo dialogo, alla presenza del vicario generale mons. Ciccioni e di Don Federico Bortoli. «Alla mia domanda di rispondere se egli avesse dei rapporti organici con la Chiesa evangelica di Cesena - scrive mons. Negri - o se intendesse attivarli, Don Luca ha negato. Ci troviamo, quindi, di fronte ad una volontà determinata di rompere l’unità ecclesiale e a un atteggiamento che ha provocato e provoca lo scandalo di coloro che egli avrebbe dovuto educare nell’esperienza della Chiesa e nella loro maturazione ecclesiale e umana». Poi continua: «Non ho parole per descrivere i sentimenti che si affollano nel mio cuore se non riconoscere che ancora una volta, il padre delle tenebre e della menzogna sferra un colpo grave alla nostra Chiesa. Sono certo che la protezione della Madonna, che invochiamo con così tanta devozione, ci saprà aiutare a superare quest’avvenimento tremendo e a tradurre, per quanto si potrà, questa terribile prova in un’occasione per aumentare la nostra fede in Cristo e la nostra dedizione alla Sua Chiesa».In conclusione comunica anche che, in ossequio alle disposizioni della Santa Sede, sta attivando tutte le procedure che sono previste in questi casi dal Codice di Diritto Canonico. «Il Signore abbia alla fine misericordia di chi, con quest’atteggiamento dissennato, inizia una vita negativa per sé e per coloro che, fidandosi di lui, potrebbero addirittura seguirlo».

sábado, 27 de agosto de 2011

Vocacionados em treinamento

JMM - Missões Mundiais
Por Ailton Figueiredo 23 de agosto de 2011

Uma nova turma de vocacionados – oito casais e três solteiras – está em treinamento no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil (STBSB) no Rio de Janeiro, se preparando para fazer parte do quadro de obreiros de Missões Mundiais.

São eles: Ricardo Correia dos Santos e Gláucia Patrícia dos Santos, André Souto Bahia e Verônica da Silva Souto Bahia, Jorge Luís Siqueira do Nascimento e Cristina Lima Rodrigues do Nascimento, Eduardo Rodrigues Peixoto e Paulyne Werneck Peixoto, Rawderson Rangel Porto Pereira e Mayre Gaudard Corrêa Rangel, José Roberto dos Santos e Sônia Menezes Jacobina Santos, Robson Cunha dos Santos e Zelma de Andrade Siqueira Santos, Dilma da Silveira e Silva e Jacqueline Matos dos Santos. Além desses mais um casal e uma solteira estão se preparando para evangelizar em áreas de risco.

Durante o período de estudos no STBSB, os vocacionados cumprem uma agenda que inclui promoção da obra missionária em igrejas do Rio de Janeiro e levantamento de seu próprio sustento para seguir aos campos. O curso dura um semestre e, após entrevista com o Comitê de Missões da CBB em novembro deste, se forem aprovados pelo Conselho da CBB eles seguirão para seus respectivos campos.

Esses obreiros só serão enviados aos campos após levantar 100% de seu sustento e aprovados pelo Conselho da CBB. Assim, se você deseja adotar um desses irmãos, entre em contato com a JMM.

Central do Adotante: (21) 2122-1910 (de cidades com DDD 21) e 0800 709 1900 (das demais cidades) ou pelo e-mailpam@jmm.org.br

A luta por um primeiro-ministro

Envolverde
'via Blog this'

por Wadner Pierre, da IPS

415 A luta por um primeiro ministroPorto Príncipe, Haiti, 26/8/2011 – Nos três meses em que ocupa o cargo de presidente do Haiti, Michel J. Martelly já fracassou duas vezes na indicação do primeiro-ministro. O parlamento rejeitou Bernard Gousse, por seu passado como funcionário da ditadura de Gérard Latortue, e o empresário Daniel Rouzier. Gousse recebeu o voto negativo de 16 senadores, devido aos seus péssimos antecedentes em matéria de direitos humanos quando foi ministro da Justiça de Latortue (2004-2006), e Rouzier foi rejeitado pela câmara baixa por questões técnicas. Enquanto Gousse foi ministro, as prisões ficaram lotadas de presos políticos, a maioria de bairros pobres onde o deposto presidente Jean-Bertrand Aristide tinha muitos adeptos.

O país não tem primeiro-ministro que realize o programa do novo presidente. Um capítulo é o ensino primário gratuito para meninos e meninas, que a população espera que seja implantado a partir de setembro, quando as escolas reabrirem. Martelly deve conseguir que o parlamento aprove um primeiro-ministro, um grande desafio por não ter maioria própria. A Constituição prevê para estes casos que o chefe de Estado consulte os presidentes das duas câmaras. Alguns analistas responsabilizam pela situação o chefe do Estado Maior, Thierry Mayard Paul, e outros apontam os assessores de Martelly.

Os parlamentares precisaram recordar várias vezes ao presidente que ele foi eleito em março por apenas 700 mil votos, de um total de 4,5 milhões de eleitores aptos a votar. “Precisamos de um primeiro-ministro que possa reconciliar a nação. Não nos deteremos até que haja um novo primeiro-ministro”, disse Georges Sassine. A iniciativa é parecida com uma lançada por Aristide durante seu segundo mandato (2000-2004), chamada Caravane Espoire (caravana esperança), que acabou em golpe de Estado.

Alguns partidários de Martelly lhe pediram para dissolver o parlamento. Mas a questão que apresenta a atual situação é o quanto é verdadeiro o objetivo da Operasyon Gran moun Pa Jwe. Entre os assessores de Martelly está Nicolas Duvalier, de 29 anos, filho do ex-ditador Jean Claude Duvalier que regressou há pouco tempo ao país onde enfrenta acusações penais. Aristide também recebeu ameaças que, segundo os comentários, foram financiadas com US$ 11 milhões destinados pelo governo francês ao Ministério da Justiça do Haiti. Gousse teria realizado o projeto com entusiasmo. O governo de Marterlly tirou o automóvel de Aristide, mas o devolveu após protesto de seus partidários.

O senador Moïse Jean Charle, um dos partidários de Aristide do grupo de 16 senadores, criticou o comportamento do presidente de tentar impor um primeiro-ministro de sua preferência. Charle foi eleito prefeito de Commune Milot e esteve entre os que se opuseram ao golpe de Estado de 2004 no norte do país. As pessoas se perguntam sobre o rumo que Martelly quer dar ao país e cada vez mais se perguntam se não se trata de um títere de seu chefe do Estado Maior. “Thierry é a mão direita de Martelly e influi no processo de decisão do presidente, mas não pode ser o próximo primeiro-ministro. Não conseguirá”, disse uma pessoa próxima a Paul.

A divisão dentro da equipe de Martelly piorou sua situação. A apresentadora de rádio Nancy Rock afirmou, no dia 6, que alguém da equipe do presidente havia prejudicado a opção do mandatário, tendo Gousse como convidado. “Essa pessoa também trabalhou contra Rouzier e Gousse”, acrescentou. “Eles reconheceram que havia divisões entre os partidários do presidente e que obedeciam a interesses econômicos, não a um problema de cor ou de pobres e ricos, como muitos podem pensar”, afirmou. Rock recomendou a Martelly dar os passos necessários para se desfazer dessa pessoa. “O presidente deve se livrar desse homem. Não vou dar nomes, mas as pessoas sabem de quem se trata”, afirmou.

No entanto, Martelly parece incapaz de unir sua gente para escolher o primeiro-ministro. “Foram mencionados nomes de dois assessores presidenciais, Daniel Supplice e Wilson Laleau”, disse o senador Edwin Zenny. A Agência Haitiana de Imprensa informou no dia 17 que o nome do chefe do Estado Maior de Martelly estava na mesa. O grupo de 16 senadores teria se reunido dois dias depois para planejar uma estratégia caso o presidente designe de forma unilateral outra controvertida pessoa para o cargo de primeiro-ministro.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Proporção de católicos volta a cair no Brasil; crescem evangélicos e ateus


Paula Adamo Idoeta
Da BBC Brasil em São Paulo

Atualizado em  23 de agosto, 2011 - 16:46 (Brasília) 19:46 GMT
Católicos brasileiros vistos em Madri, durante visita do Papa à capital espanhola, no último domingo (Reuters)
Segundo estudo da FGV, católicos são 68,4% da população brasileira, contra 73,8% em 2003
A Igreja Católica voltou a perder adeptos no Brasil, enquanto cresceu a quantidade de evangélicos e de pessoas que se declaram sem religião, aponta estudo publicado nesta terça-feira pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas.
Segundo o Novo Mapa das Religiões, coordenado pelo pesquisador Marcelo Néri, os católicos passaram de 73,8% da população em 2003 para 68,4% em 2009 - uma queda de 5,4 pontos percentuais.
Ao mesmo tempo, os evangélicos passaram a representar 20,2% da população, contra 17,9% em 2003. O grupo dos “sem religião” (ateus e agnósticos), que era de 5,1% em 2003, subiu para 6,7% em 2009.
O levantamento foi feito a partir de dados de mais de 200 mil entrevistas da Pesquisa de Orçamento Familiar (POF), do IBGE.
A queda na participação dos católicos na população vem sendo lenta, porém constante, desde o início do século passado, mas havia se mantido estável na medição anterior da FGV, entre 2000 e 2003.
“Chegamos em 2009 ao menor nível de adeptos ao catolicismo na nossa história estatisticamente documentada”, diz o estudo. “Observamos a queda na proporção de católicos em todas as faixas etárias. Essa mudança foi menor para os grupos com idade mais avançada e maior entre os jovens.”
Tal redução abriu espaço tanto para ateus e agnósticos como para outras crenças.
“A (igreja evangélica) Assembleia de Deus já é a segunda maior igreja do Brasil (em número de adeptos), com grande importância nas classes D e E”, explicou Marcelo Néri à BBC Brasil. “E a crença espírita já é a segunda maior na classe AB.”
No caso dos evangélicos, o crescimento relativo de adeptos se dá em todas as faixas etárias, embora de maneira mais pronunciada entre os jovens.
Na emergente classe C, os evangélicos representam 21,5% da população – mais do que a média nacional (20,2%).
Religião e renda
O catolicismo é a religião é mais presente nos níveis extremos do espectro de renda (72,7% na classe E e 69% na AB), enquanto as crenças evangélicas pentecostais se popularizam nos níveis intermediários inferiores da distribuição de renda (representa 15,3% na classe D). Os evangélicos tradicionais estão concentrados na faixa AB (8,35%) e C (8,7%).
No que diz respeito à divisão geográfica, a maior concentração de católicos é nos Estados do Nordeste brasileiro - no Piauí, 87,9% da população é católica, contra 68,4% da média nacional.

Religiões no Brasil

- Os católicos passaram de 73,8% da população em 2003 para 68,4% em 2009
- Os evangélicos passaram de 17,9% em 2003 para 20,2% em 2009
- Os sem religião passaram de 5,1% em 2003 para 6,7% em 2009
“Os dados demonstram claramente que a velha pobreza brasileira (como áreas rurais do Nordeste, mais assistidas por programas sociais) continua católica, enquanto a nova pobreza (como a periferia dessasistida das grandes cidades) estaria migrando para as novas igrejas pentecostais e para os segmentos sem religião”, diz o estudo da FGV.
Ao mesmo tempo, porém, a renda familiar per capita dos evangélicos é 6,9% inferior à dos católicos - justamente pelo fato de o catolicismo ainda ter presença relevante na elite econômica brasileira.
Com relação aos gêneros, as mulheres brasileiras, ao mesmo tempo em que são mais religiosas do que os homens, hoje são menos católicas: entre os que possuem religião, 75,3% dos homens são católicos; entre as mulheres, esse índice cai para 71,3%.
“Enquanto os homens abandonaram as crenças, as mulheres trocaram de crença, preservando mais do que eles a religiosidade”, diz a pesquisa.
 

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Brasil entrega ambulâncias e medicamentos ao Haiti

PantanalNews - Portal de Notícias do Mato Grosso do Sul:


Ministério da Saúde envia 30 veículos 4X4 equipados com suporte básico de atendimento e 360 toneladas de soro para tratamento de cólera para a população haitiana

Chegaram nesta semana em Porto Príncipe 360 toneladas do soro Ringer Lactato, um medicamento essencial para o tratamento dos casos graves e moderados de cólera, e 350 mil equipos (itens completos para aplicação do soro) prontos para uso, doados pelo Ministério da Saúde do Brasil para o combate ao cólera no Haiti.

Com a doação poderão ser tratados cerca de 50 mil casos moderados e graves de cólera, principalmente em Porto Príncipe, região de grande concentração populacional, onde muitas famílias estão vivendo em acampamentos, após o terremoto de 12 de janeiro de 2010. Os medicamentos e insumos serão armazenados para distribuição no Programa de Medicamentos Essenciais da Organização Pan-Americana da Saúde do Haiti e serão distribuídos de acordo com a necessidade apresentada pelo Ministério de Saúde Pública e da População do Haiti.

Além disso, na semana passada foram desembarcadas em Porto Príncipe 30 ambulâncias doadas pelo Ministério da Saúde para apoiar o desenvolvimento de um sistema de urgência e emergência para o Haiti. As ambulâncias do tipo 4X4 incluem equipamento básico de atendimento. Além das ambulâncias, o Brasil também ofereceu capacitação técnica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu). “Essas ambulâncias serão vinculadas ao Sistema Nacional de Transporte do Haiti, que ainda não existe, mas que o Projeto Tripartite colocou na agenda haitiana”, explica o embaixador Eduardo Botelho Barbosa, chefe da Assessoria Internacional do Ministério da Saúde do Brasil.

As ambulâncias, que custaram R$ 3,86 milhões e os insumos para tratar o cólera, que custaram R$ 800 mil, foram adquiridos com recursos extraordinários do Ministério da Saúde aprovados pelo Congresso no ano passado, conforme a Lei 12.239, para operações de assistência especial no exterior e assistência humanitária ao Haiti, em iniciativas voltadas para a saúde.

A compra foi planejada pelo Projeto de Cooperação Sul-Sul de Fortalecimento da Autoridade Sanitária do Haiti – o Projeto Tripartite. Iniciado em março de 2010, o Projeto Tripartite Brasil-Haiti-Cuba de fortalecimento do sistema de saúde e de vigilância epidemiológica contará com cerca de US$ 70 milhões investidos pelo Brasil em ações de saúde no Haiti.

As iniciativas atendem também aos compromissos assumidos pelo Brasil quando da assinatura do Memorando de Entendimento Brasil, Cuba e Haiti para o fortalecimento do sistema de saúde e de vigilância epidemiológica no Haiti, firmado em 27 de março de 2010, em Porto Príncipe. Com o memorando, os Ministérios da Saúde dos três países se engajaram juntos na reconstrução do Haiti, após o terremoto do ano passado.

Salientando que o compromisso do Ministério vai muito além da assistência médica, o embaixador Eduardo Botelho Barbosa, chefe da Assessoria Internacional do Ministério da Saúde do Brasil, considera que o Brasil está contribuindo muito com o processo de fortalecimento do sistema de saúde haitiano. “O modelo de cooperação do tipo Sul-Sul é inovador e, a partir dele, levamos a experiência da construção do Sistema Único de Saúde do Brasil, que é universal, integral, hierarquizado e participativo, para a reestruturação do sistema de saúde haitiano, respeitando a soberania do povo do Haiti”, avalia. Eduardo Botelho Barbosa lembra ainda que as doações atendem a uma demanda feita ao governo brasileiro pelo Ministério de Saúde Pública e da População do Haiti.


Por Débora Pinheiro, da Agência Saúde
Atendimento à Imprensa
(61) 3315-2351/3580

terça-feira, 23 de agosto de 2011

País tem menor nível de adeptos do catolicismo desde 1872, diz estudo

G1
Cresce proporção de brasileiros sem religião, segundo pesquisa da FGV. 

Mulheres estão menos católicas do que os homens, diz mapa de religiões.

Do G1, em São Paulo
A proporção de brasileiros adeptos do catolicismo caiu ao menor nível já registrado desde 1872, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (23) pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Apesar da queda, o catolicismo ainda é a maior religião no país, seguida pela igreja evangélica e pelo espiritismo.
Evolução dos adeptos do catolicismo no Brasil, segundo estudo da FGV
187299,72%
198088,96%
199183,34%
200073,89%
200373,79%
2009
68,43%
*CPS/FGV, percentual de adeptos na população brasileira, a partir do processamento de dados publicados e microdados do IBGE
Os dados fazem parte de um mapa de religiões traçado pela FGV. Segundo o estudo, 68,43% da população brasileira se dizia católica em 2009, cerca de 130 milhões de pessoas, o menor percentual desde os primeiros registros realizados no país, em 1872, quando os católicos representavam 99,7% da população.
Conforme o estudo, a proporção de católicos vinha se mantendo constante no início dos anos 2000, mas houve queda de 7,3% dos adeptos ao catolicismo entre 2003 e 2009. A pesquisa reuniu microdados de pesquisas do IBGE com cerca de 200 mil entrevistados na década passada.
Uma das razões apontadas para a queda é o crescimento na proporção dos evangélicos no mesmo período (de 17,9% para 20,3% da população). Além disso, o grupo de pessoas que dizem não pertencer a nenhuma religião subiu, de 5,13% para 6,7% da população. No início da década, o índice dos “sem religião” havia caído, de 7,4% para 5,1%.
Veja a seguir a distribuição das principais religiões no país, segundo a pesquisa:
Sem religião
Católicos
Evangélica pentecostal
Outras evangélicas
Espiritualista
Afro
brasileira
Orientais ou asiáticas
2009
6,72%
68,43%
12,76%
7,47%
1,65%
0,35%
0,31%
2003
5,13%
73,79%
12,49%
5,39%
1,5%
0,23%
0,3%





Ainda segundo a pesquisa, as mulheres continuam mais religiosas do que os homens, mas a proporção se inverteu no período analisado com relação ao catolicismo. Enquanto 71,6% se dizem católicas, 75,4% dos homens expressam pertencer a essa religião. Setenta anos antes, eram 96% e 95%, respectivamente.
Estados e capitais
O Piauí é o estado com maior número de católicos (87,93%), seguido pelo Ceará (81%) e Paraíba (80,25%). Os menos católicos são o Acre (50,73%), Rio de Janeiro (49,83%) e Roraima (46,78%). Roraima é também o estado com maior proporção de sem religião (19,39%), seguido do Rio de Janeiro (15,95%).
Ainda conforme o estudo, a periferia do Rio de Janeiro é a menos católica e menos religiosa de todas as metrópoles brasileiras. No outro extremo está a periferia de Porto Alegre e de Fortaleza, respectivamente, a mais religiosa e a mais católica.
Entre os evangélicos pentecostais, o Acre é o que contabiliza a maior proporção de adeptos (24,18%). Nas demais denominações evangélicas, o líder é o Espírito Santo (15,09%). O Sergipe é o estado com o menor percentual de evangélicos pentecostais (4,75%).
O Rio lidera em religiões espíritas (3,37%) e afro-brasileiras (1,61%), seguido, nos dois casos, pelo Rio Grande do Sul (2,34% de espiritualistas e 0,94% de afro-brasileiras). Já nas religiões orientais ou asiáticas, São Paulo possui o maior nível de adeptos (0,78%), seguido pelo RJ (0,69%) e Distrito Federal (0,52%).
Nas capitais, Boa Vista, Salvador e Porto Velho são as que possuem maior proporção de pessoas sem religião. Teresina é a capital mais católica do país, com 80, 66% de fiéis, seguida de Fortaleza (74,25%) e Florianópolis (73,91%). Boa Vista é a menos católica (40,87%). Os evangélicos são maioria em capitais da região Norte: Rio Branco (28,43%), Belém (23%), Boa Vista (21,21%) e Porto Velho (19,02%).
Renda
Com relação à renda, a grande parte dos sem religião está concentrada na classe E (7,72% deles não possuem religião), seguida pela classe A/B, com 6,91%. O mesmo acontece no catolicismo, que se concentra principalmente entre essas classes.
Evangélicos pentecostais são 14,98% da classe D. Já as igrejas evangélicas mais tradicionais estão mais concentradas na classe AB (8,35%) e C (8,72%). Outras religiões também estão mais concentradas na classe A/B.