terça-feira, 24 de maio de 2011

Dia 22 de maio -> Marcos históricos

22/05/1994Entra em vigor um embargo mundial contra o Haiti. Tal medida serviu de punição contra os líderes militares do país que não permitiram o governo de Jean-Bertrand Aristide, que fora democraticamente eleito.

Congresso haitiano analisará nomeação do primeiro-ministro

Imagen activaPorto Príncipe, 23 mai (Prensa Latina) As relações perigosas entre o presidente haitiano, Michel Martelly, e um Congresso dominado pela oposição entrarão em jogo nesta semana, quando os parlamentares analisarem a proposição de primeiro-ministro realizada pelo presidente.

  A Câmera de Deputados e o Senado, em recesso até o próximo mês, devem ser reunido em dias próximos em sessão extraordinária para decidir se aprovarem a designação do empresário Daniel Gerard Rouzier como segundo homem no governo do Haiti.

Em um ambiente carregado de críticas e suposições sobre quem ocuparia o cargo, Martelly nomeou finalmente na passada sexta-feira a Rouzier, de 51 anos de idade, um dos homens mais ricos do país, executivo de uma planta elétrica e dono de uma revendedora de automóveis.

Se se aprovarem pelo Legislativo, Rouzier substituirá ao saliente Jean-Max Bellerive e ocupará o posto em um momento decisivo para a nação do Caribe, destruída por um terremoto em janeiro de 2010 e assolada depois por uma epidemia de cólera, com saldo de mais de cinco mil vidas.

O partido de Martelly, Resposta Camponesa, conta com apenas três assentos na Câmera baixa, de 99 possíveis, enquanto os dois hemiciclos estão dominados pela anterior plataforma dirigente, Inité, com 46 deputados e 17 senadores, de um total de 30.

HAITI: NOVOS CENTROS DE ASSISTÊNCIA PARA 10 MIL CRIANÇAS

Porto Príncipe, 24 mai (RV) - Continua o desafio para sanar as feridas de milhares de pessoas atingidas pelo grave terremoto que devastou o Haiti em janeiro de 2010. Muitas são as atividades desempenhadas pela Associação de Voluntários para o Serviço Internacional (AVSI). 

Atualmente, a associação está trabalhando na realização de três novos centros nutricionais em Porto Príncipe e para equipar cinco centros de saúde em Les Cayes, no distrito de Torbeck. Uma ajuda concreta em favor de mais de 10 mil crianças da capital haitiana, vítimas da desnutrição que piorou após o terremoto de janeiro de 2010. 

Foram realizados os primeiros trabalhos de reestruturação e os laboratórios foram dotados de termômetros, balanças, cadeiras, desinfetantes e de tudo o que é necessário num centro de saúde. Também se está trabalhando na formação de médicos e enfermeiros, um compromisso que envolve 150 pessoas. 

Os beneficiários desses projetos são muitos. Além das 10 mil crianças de Porto Príncipe, que terão à disposição esses novos centros nutricionais, educação alimentar e assistência médica, também serão beneficiados por essa presença 8.370 famílias do distrito de Torbeck. (MJ)

sábado, 21 de maio de 2011

Curso Internacional para Treinadores de Futebol

21/05/2011 - 11:52
Portal Fator Brasil


Curso Internacional para Treinadores de Futebol

O Itamaraty, em parceria com o Sindicato de Treinadores Profissionais do Estado de São Paulo, realizará mais uma edição do Curso Internacional para Treinadores de Futebol, no âmbito da política brasileira de cooperação esportiva.

Em maio de 2008, a primeira edição do Curso, realizada em Brasília, capacitou 31 treinadores dos países africanos de língua portuguesa e do Timor-Leste. Em maio de 2010, em São Paulo, 16 técnicos africanos foram convidados para a atividade, que contou com conferência do técnico Zico. Para a edição de novembro de 2010, foram convidados 21 treinadores de países africanos e do Haiti. Paralelamente, realizou-se curso de capacitação para 20 árbitros de países africanos, da Jamaica e da Palestina.

Para edição a ser iniciada no próximo dia 23 de maio (segunda-feira), na sede da Federação Paulista de Futebol, com encerramento previsto para o dia 27 de maio, no Museu do Futebol, foram convidados a enviar representantes países africanos e asiáticos, dentre esses, todos os membros da vertente asiática do Fórum de Cooperação América Latina - Ásia do Leste (FOCALAL). Está confirmada a participação de 19 treinadores estrangeiros no evento, que contará com palestras de técnicos consagrados, como Tite e Luis Felipe Scolari.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Haiti tenta superar marcas do terremoto de 2010

Um ano após a tragédia, o repórter Régis Rösing foi ao país mais pobre das Américas para registrar como o esporte transforma a vida das pessoas

Por SporTV.comRio de Janeiro

No ano seguinte ao terremoto que teve seu epicentro a 25 quilômetros de Porto Príncipe, capital do Haiti, o repórter Régis Rösing foi ao país para registrar como o esporte transformou a vida de pessoas que perderam familiares e tiveram seus lares destruídos pelo tremor de janeiro de 2010.

Os números da tragédia assustam. Foram mais de 316 mil mortes e cerca de 50 mil crianças órfãs. Um ano após o episódio, os haitianos estão tentando reconstruir a vida e superar as marcas da tragédia através do esporte.

Além da presença do Exército brasileiro, que foi enviado para ajudar a estabelecer a ordem e paz no local, o repórter também conta com a ajuda dos atletas Dayane Camilo, Claudinei Quirino e Luiz Lima para mostrar a história de superação da população.

Ganhadora da medalha de ouro nos Pan-Americanos de Winipeg-99 e de Santo Domingo-2003, a ginasta Dayane Camilo se apresentou para as crianças e promoveu uma aula ao livre.

- Foi a maior felicidade que já tive. Maior do que treinar e ganhar uma medalha. Com tanta desgraça no país, não tem coisa melhor do que vê-los feliz, batendo palmas e cantando - contou, emocionada.

Já Claudinei Quirino, medalhista de prata nas Olimpíadas de Sidney-2000, percorreu locais devastados pelo terremoto durante uma corrida de seis quilômetros promovida pelos militares brasileiros e encontrou crianças que participaram do evento para ganhar comida. O nadador Luiz Lima conheceram a 'Cozinha do Inferno', local conhecido por ter uma feira pública onde as pessoas trocam objetos por comida - muitas vezes estragada.

O "SporTV Repórter" 'Haiti 2011: superando as marcas do terremoto' vai ao ar neste sábado, 21 de maio, às 22h, no SporTV 2.

Haiti tenta superar marcas do terremoto de 2010

Um ano após a tragédia, o repórter Régis Rösing foi ao país mais pobre das Américas para registrar como o esporte transforma a vida das pessoas

Por SporTV.comRio de Janeiro

No ano seguinte ao terremoto que teve seu epicentro a 25 quilômetros de Porto Príncipe, capital do Haiti, o repórter Régis Rösing foi ao país para registrar como o esporte transformou a vida de pessoas que perderam familiares e tiveram seus lares destruídos pelo tremor de janeiro de 2010.

Os números da tragédia assustam. Foram mais de 316 mil mortes e cerca de 50 mil crianças órfãs. Um ano após o episódio, os haitianos estão tentando reconstruir a vida e superar as marcas da tragédia através do esporte.

Além da presença do Exército brasileiro, que foi enviado para ajudar a estabelecer a ordem e paz no local, o repórter também conta com a ajuda dos atletas Dayane Camilo, Claudinei Quirino e Luiz Lima para mostrar a história de superação da população.

Ganhadora da medalha de ouro nos Pan-Americanos de Winipeg-99 e de Santo Domingo-2003, a ginasta Dayane Camilo se apresentou para as crianças e promoveu uma aula ao livre.

- Foi a maior felicidade que já tive. Maior do que treinar e ganhar uma medalha. Com tanta desgraça no país, não tem coisa melhor do que vê-los feliz, batendo palmas e cantando - contou, emocionada.

Já Claudinei Quirino, medalhista de prata nas Olimpíadas de Sidney-2000, percorreu locais devastados pelo terremoto durante uma corrida de seis quilômetros promovida pelos militares brasileiros e encontrou crianças que participaram do evento para ganhar comida. O nadador Luiz Lima conheceram a 'Cozinha do Inferno', local conhecido por ter uma feira pública onde as pessoas trocam objetos por comida - muitas vezes estragada.

O "SporTV Repórter" 'Haiti 2011: superando as marcas do terremoto' vai ao ar neste sábado, 21 de maio, às 22h, no SporTV 2.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Martelly promete mudar Haiti

PORTO PRÍNCIPE — O novo presidente haitiano, Michel Martelly, prometeu neste sábado "mudar o Haiti", no discurso pronunciado para milhares de pessoas em Porto Príncipe, diante do antigo Palácio Presidencial, destruído pelo terremoto de janeiro de 2010.
"Vamos mudar o Haiti", proclamou o 56º presidente do país horas após ser empossado diante de parlamentares haitianos e de uma dezena de chefes de Estado.
"Povo haitiano, espero vocês!" - disse Martelly para a multidão reunida diante do Palácio Presidencial.
"O caminho à vitória foi longo e doloroso", lembrou o presidente, ao conclamar o Haiti à reconciliação após a série de confrontos ocorridos depois das eleições.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Brasil deve aportar US$ 70 milhões para projetos de saúde no Haiti

04/05/2011 - 17h41
Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil
Brasília – O Brasil deve emprestar US$ 70 milhões para projetos de saúde no Haiti. Representantes do Ministério da Saúde do Brasil trataram com a equipe de saúde do novo presidente haitiano, Michel Martelly, sobre o projeto de ajuda. A intenção é dar continuidade às ações de apoio ao país caribenho.
Iniciado no ano passado, o projeto prevê a construção de um hospital para pronto-atendimento com 40 leitos e de um instituto para reabilitação de pacientes e a reforma de dois laboratórios até o fim do ano.
De acordo com o ministério, 30 ambulâncias serão doadas ao governo haitiano no segundo semestre. Médicos brasileiros ajudarão na campanha de vacinação contra a rubéola e o sarampo, que será iniciada no próximo dia 9. Além do Brasil, o governo cubano também participa do projeto de ajuda aos haitianos.
Martelly assumirá a presidência do Haiti no dia 14 de maio. Ele venceu as eleições gerais, no segundo turno. Conforme os dados oficiais, Martelly obteve 67,57% dos votos e a sua oponente Manigat recebeu 31,7%.

Parlamentares do Haiti discutem mudanças na Constituição do país

10/05/2011 - 8h24
Agência Lusa
Brasília – Os parlamentares do Haiti devem concluir nos próximos dias o processo de votação de emendas à Constituição do país. Os deputados e senadores do Haiti se reunirão hoje (10) mais uma vez para discutir o assunto. Pelo menos duas dezenas de artigos serão alterados, incluindo os que se referem à nacionalidade haitiana.
Apesar das dúvidas de alguns legisladores, o Artigo 11 da Constituição haitiana foi emendado com 80 votos a favor e oito abstenções, aceitando-se, por isso, o princípio da dupla nacionalidade. O assunto gera polêmicas e debates no Haiti.
O ministro dos Haitianos Moradores no Exterior, Edwin Paraison, disse que a iniciativa é “um passo histórico nas relações entre o Haiti e a sua diáspora”. A emenda entrará em vigor depois da sua publicação no Diário Oficial, denominada Le Monitor.
Também está em discussão pelos parlamentares se os haitianos, que detêm também uma segunda nacionalidade, poderão ocupar todas as funções políticas. Nesse processo de revisão constitucional, dez artigos serão suprimidos e outros vinte deverão ser alterados.

domingo, 8 de maio de 2011

Começa amanhã cúpula dos países menos desenvolvidos

Imagen activaNações Unidas, 8 mai (Prensa Latina) Quarenta anos após sua formação, o chamado grupo dos Países Menos Desenvolvidos inicia amanhã sua quarta conferência em Istambul, auspiciada pelas Nações Unidas com o ressonante objetivo de deter o ciclo da pobreza.

O encontro foi convocado para buscar medidas dirigidas à autosuficiência econômica, eliminar a pobreza e criar trabalhos decentes, de acordo com a retórica da ONU.

Esse conglomerado de Estados foi criado em 1971 e desde então realizado quatro cúpulas, enquanto sua composição aumentou de 25 a 48 países: 33 africanos, 14 asiáticos e um da América Latina e Caribe (Haiti).

No fórum de Istambul participarão cerca de 40 governantes junto com legisladores, organizações da sociedade civil, representantes do setor privado e chefes de agências internacionais para tratar sobre "reformas econômicas, governabilidade e aproveitamento de recursos".

A agenda inclui uma avaliação do plano de ação de 10 anos aprovado na conferência anterior, realizada em Bruxelas em 2001, e a adoção de novas medidas e estratégias para o desenvolvimento sustentável do grupo no próximo decênio.

Um país é considerado menos desenvolvido pela ONU quando o rendimento per capita não ultrapassa os 745 dólares anuais durante três anos e mostra baixos índices em matéria de nutrição, mortalidade infantil, educação e alfabetização.

Tudo isso unido a uma alta vulnerabilidade econômica a partir do número de habitantes, a diversidade de suas exportações, o impacto da agricultura, os bosques e a pesca em sua economia e outros elementos.

Os países africanos incluídos no grupo são Angola, Benin, Burkina Faso, Burundi, Repúblicas Centro-africana e Democrática do Congo, Chade, Comores, Djibouti, Guiné Equatorial, Eritréia, Etiópia, Gambia, Guiné, Guiné-Bissau, Lesoto, Libéria e Mali.

Também Madagascar, Malaui, Mauritânia, Moçambique, Niger, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Somália, Sudão, Togo, Uganda, Tanzânia e Zambia.

Pela Ásia e o Pacífico estão o Afeganistão, Bangladesh, Butão, Cambodia, Kiribati, Laos, Mianmar, Nepal, Samoa, Ilhas Salomão, Timor Leste, Tuvalu, Vanuatu e Iêmen, enquanto Haiti é o único pertencente ao hemisfério ocidental.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cooperação Brasil-Haiti-África

ONU entrega ao Haiti relatório sobre origem da cólera

Nações Unidas, 4 maio (Prensa Latina) Nações Unidas entregará hoje ao governo do Haiti as conclusões de uma equipe de especialistas experientes que pesquisou a origem da epidemia da cólera que estourou faz sete meses nesse país.

  O estudo foi realizado por um grupo de especialistas conformado pela organização mundial perante as inúmeras denúncias de que o foco da doença foi provocado por soldados do Nepal da missão da ONU no Haiti.

Segundo explicou hoje o porta-vos oficial das Nações Unidas, Martin Nesirky, os encarregados da pesquisa reuniram-se ontem com o secretário geral, Ban Ki-moon, a quem apresentaram seu relatório final.

Esse documento será publicado após ser posto nas mãos das autoridades haitianas, em uma audiência prevista para esta quarta-feira em Porto Príncipe.

A crise da cólera, com umas cinco mil mortes até agora, surgiu no meio da tragédia registrada no Haiti a partir do terremoto de 12 de janeiro de 2010 que deixou mais de 300 mil mortos e um milhão 300 mil pessoas sem morada.

As acusações contra os capacetes azuis da ONU foram compartilhadas por reconhecidos especialistas, como o epidemiologista francês Renaud Piarroux.

O grupo investigador criado por Nações Unidas no limiar de janeiro passado está encabeçado pelo mexicano Alejandro Cravioto, do Centro Internacional de Investigações de Doenças Diarréicas, de Bangla Desh.

Também o integram o peruano Cláudio Lanata, do Instituto de Investigações Nutricionais de Peru, a norte-americana Daniele Lantagne, da Universidade de Harvard, e o índio Balakrish Nair, do Instituto da Cólera e Doenças Intestinais da Índia.

Jô é aclamada madrinha de programa de cooperação ao Haiti

A deputada federal Jô Moraes (PCdoB/MG) assinou como madrinha e testemunha, o Termo de Compromisso do “Programa Contagem, Betim e BH: Um belo horizonte para o Haiti – Programa de Formação de Jovens Lideranças”

A deputada federal Jô Moraes (PCdoB/MG) assinou como madrinha e testemunha, o Termo de Compromisso do “Programa Contagem, Betim e BH: Um belo horizonte para o Haiti – Programa de Formação de Jovens Lideranças” – formalizado na manhã de terça-feira(3) durante um workshop que reuniu representantes do Ministério das Relações Exteriores; da Frente Nacional de Prefeitos, das três cidades parceiras; de universidades; o presidente da Haiti Global Vision Ministries, Leonel Raphael, e estudantes daquele país, entre outros convidados, no Espaço Municipal da sede da PBH, no Centro.

A reunião de trabalho é uma das etapas do processo de sistematização do programa como boa prática de cooperação entre países, já que foi uma das 15 iniciativas selecionadas pela Força-tarefa em Cooperação Sul-Sul (Task Team on South-South Cooperation) da Organização dos Países para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) para disputar insumos de casos como referência desta cooperação. A OCDE agrupa os 20 países mais industrializados da economia de mercado. Os projetos serão levados à avaliação na reunião que acontecerá em novembro, na Coréia.

Origem Representando uma parceria entre as prefeituras de Belo Horizonte, Betim, Contagem e o Instituto Metodista Izabela Hendrix, o “Programa Contagem, Betim e BH: Um belo horizonte para o Haiti – Programa de Formação de Jovens Lideranças Haitianas” está sendo estudado sob a liderança da Universidade de Antioquia, da Colômbia.

A iniciativa nasceu de uma articulação entre a deputada Jô Moraes, o Izabela Hendrix, estudantes haitianos e a PBH, logo após o terremoto que devastou aquele país caribenho, e ganhou corpo com a integração das outras duas prefeituras de região metropolitana e de organismos da sociedade civil.

O propósito inicial era o de manter 20 estudantes haitianos estudando no Brasil – e, para tal, eles precisam se manter, ou seja, ter recursos para deslocamento, alimentação e moradia. Bolsistas do Izabela Hendrix, os estudantes foram selecionados pela congregação de igrejas metodistas Haiti Global Vision Ministres no âmbito do Programa de Capacitação de Jovens de Países em Reconstrução. São alunos de

Arquitetura, Engenharia Civil, Ambiental e de Produção, Nutrição, Administração e Biomedicina que vieram para o Brasil nos anos de 2007 e 2008.

IntegraçãoDurante o workshop Jô Moraes propôs a integração do Governo do Estado ao processo. Uma iniciativa que ficou de articular com os demais gestores e que foi saudada pelo secretário Municipal Adjunto de Relações Internacionais, Rodrigo Perpétuo, para quem a participação do Estado é fundamental na ampliação e consolidação das parcerias, ocasião em que destacou a contribuição da deputada e a aclamou madrinha do projeto.

O prefeito de Várzea Paulista e segundo vice-presidente de Relações Internacionais da Frente Nacional de Prefeitos, Eduardo Tadeu, falou do interesse da entidade neste intercambio entre cidades e nas relações internacionais que enseja. Uma delas foi a disponibilização de recursos federais não só para cidades haitianas como também para municípios africanos. Recursos voltados à superação de catástrofes e dramas decorrentes da miséria.

Tadeu ressaltou que o Programa de cooperação BH, Betim e Contagem é a única experiência analisada internacionalmente que abrange a cooperação entre cidades. E este é um diferencial importante, observou.

O diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), ministro Marco Farani explicou que a instituição é, uma unidade do Itamaraty, mas ainda não se configura uma agência de fato, por não ter estrutura física; de pessoal e orçamento próprio. “ “Cooperação implica agência com corpo técnico treinado, sede e recursos orçamentário”. Ele alertou ainda que nos países desenvolvidos as agências aplicam recursos vultosos em cooperação técnico-financeira. “Uma ação que deve ser coordenada, articulada, solidária, com propósitos claros, específicos”, disse. Uma ação com este foco tem dividendos políticos como conseqüência, exultou. A despeito das dificuldades e até dos contratempos enfrentados pelo Brasil para ajudar o Haiti, o diplomata considera que há avanços rumo à consolidação do papel de país que também se destacará no âmbito da cooperação técnica.

O ministro Marco Farani, assim como o prefeito Eduardo Tadeu, os representantes das prefeituras de BH, Betim e Contagem, o reitor do Izabela Hendrix, David Barros, e a deputada Jô Moraes assinaram o termo de compromisso do Programa Contagem, Betim e BH: Um belo horizonte para o Haiti – Programa de Formação de Jovens Lideranças Haitianas.

De Belo Horizonte,
Graça Borges 

terça-feira, 3 de maio de 2011

Reconstrução do Haiti requer empresários

a PrimaPagina
O Haiti precisa do apoio do setor privado nacional e internacional para se recuperar do terremoto que devastou o país em janeiro de 2010, afirmou a subsecretária-geral da ONU e administradora-associada do PNUD, Rebeca Grynspan, em discurso no Fórum Econômico Mundial da América Latina-2011, realizado no Rio de Janeiro.
No evento, que ocorreu entre 27 e 29 de abril, a economista defendeu que o processo de reconstrução é uma oportunidade para as empresas locais ligadas à construção de imóveis e infraestrutura. Para a subsecretária-geral da ONU, o setor privado tem um papel crucial a desempenhar na reconstrução do Haiti. "As micro, pequenas e médias empresas são fonte significativa de inovação, e levam à geração de empregos", disse Grynspan.
Fonte: Pnud

domingo, 1 de maio de 2011

Haiti: especialistas sugerem anulação de resultados eleitorais

WASHINGTON — Uma missão de especialistas eleitorais internacionais recomendou a anulação de 18 resultados eleitorais no Haiti, que davam a vitória a candidatos próximos ao governo em fim de mandato, informou nesta sexta-feira um comunicado da Organização dos Estados Americanos (OEA).
A missão conjunta da OEA e da Comunidade Caribenha "recomenda o retorno aos resultados preliminares depois de analisar os 18 casos de mudança de ordem dos candidatos legislativos", informou o comunicado.
Uma fonte diplomática havia afirmado à AFP na quinta-feira, sob anonimato, esta conclusão da missão de especialistas, embora tenha mencionado 19 casos irregulares.