quarta-feira, 20 de abril de 2011

UNESCO na reconstrução do Haiti através da cultura

Paris, 19 abr (Prensa Latina) A função capital da cultura na reconstrução do Haiti foi destacada hoje aqui durante a apresentação na UNESCO de 15 projetos encaminhados a reedificar essa ilha que precisam o apoio urgente de doador.

Irina Bokova, diretora geral da Organização, chamou à generosidade e ao compromisso de Estados Membros, instituições, organizações multilaterais, bancos de desenvolvimento, atores do setor privado e organizações da sociedade civil na recuperação desse país.

Imediatamente após o sismo que afetou o Haiti em 2010 nasceu um vasto movimento de solidariedade que deve se transformar agora em uma aliança duradoura e em um compromisso contínuo por ajudar a empreender um imenso e longo trabalho de reconstrução, assinalou.

Michaelle Jean, enviada especial para o Haiti da UNESCO, disse a Prensa Latina que a cultura deverá ser o motor de refundação porque além de ser inseparável do desenvolvimento sustentável, econômico e da coesão social, constitui a marca desse povo.

O cataclismo maior foi a escravatura. Despossuídos de tudo, de suas línguas, seus nomes e de suas histórias, entregues como mercadoria e bestas de carga, se valeram de uma força invencível de criação para se dar força a eles mesmos, disse.

Para Jean, no Haiti a arte sempre teve um valor supremo e foi um espaço de reconquista da vida, da esperança, da luz e da dignidade.

As ações propostas para a reconstrução através da cultura se centrarão em quinze projetos que abarcarão Patrimônio da Humanidade (cultural e natural), patrimônio cultural imaterial, patrimônio imóvel(museus, arquivos, bibliotecas)e as indústrias e políticas culturais.
Postar um comentário