sexta-feira, 19 de novembro de 2010

JMM Divulga Matéria sobre a Caravana ao Haiti e sua atual situação

Por Marcia Pinheiro 17 de novembro de 2010


Após chorar seus mortos no terremoto ocorrido em janeiro, o Haiti vive um novo drama. O número de mortos pela epidemia de cólera que atinge o país já passa de mil. As autoridades de saúde locais divulgaram nesta terça-feira (16) que a epidemia deixou 1.034 mortos, enquanto o total de hospitalizados é de 16.799. Os obreiros da terra haitianos pedem orações para que aquela nação, considerada a mais miserável das Américas, seja alcançada pela graça do Pai. E que as doações feitas até então, através do Projeto Por Um Novo Haiti, cheguem àqueles que de fato necessitam, sem parar em possíveis burocracias do Estado.

Na capital Porto Príncipe, que foi severamente atingida pelo terremoto de janeiro, 38 mortes foram registradas, a maioria delas na favela de Cite Soleil. Segundo o Ministério da Saúde, a cólera está agora presente em todas as províncias do Haiti. A área mais atingida é a Província de Artibonite, onde pelo menos 629 pessoas morreram. 

Manifestantes atacaram as forças de paz do Nepal, acusando-as de levar o cólera ao Haiti pela primeira vez em um século. Além de reivindicar que as forças de paz deixem o Haiti, eles acusaram o governo de deixar as pessoas morrerem.

A ONU disse não ter encontrado evidências que justifiquem a acusação contra os militares nepaleses, mas o tipo de cólera encontrado é compatível com um do Sul da Ásia. O Exército do Nepal disse que testes provaram que as alegações relacionadas a suas tropas eram falsas.

Doença alastra-se à República Dominicana


A epidemia de cólera já se alastrou ao país vizinho, a República Dominicana. O Ministro da Saúde, Bautista Rojas, anunciou à imprensa a existência de um caso de internação. O paciente, de 32 anos, é haitiano e está internado numa unidade hospitalar da cidade de Higuey, a cerca de 140 quilômetros da capital Santo Domingo. 

As fortes medidas de controle da fronteira para impedir que o contágio pudesse acontecer, infelizmente, não impediram o alastramento do cólera. 

Por Um Novo Haiti

A última caravana de voluntários para o Haiti, organizada por Missões Mundiais, esteve no país de 6 a 17 de outubro realizando atendimentos médicos, odontológicos e fisioterápicos, atividades esportivas, artísticas e educacionais, intercessão, visitação e capelania. Ela contou com 56 integrantes, vindos de diversas partes do Brasil, e esteve sob a liderança do Pr. Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário e do setor de voluntários da JMM. Segundo ele, esse número de voluntários enviados ao Haiti é recorde na história da igreja evangélica brasileira.

A caravana de voluntários levou na bagagem para o Haiti centenas de doações, como roupas, remédios, material evangelístico e até uma bicicleta, que foram entregues ao Pr. Jonathan Joseph, coordenador dos missionários da terra e obreiro da JMM naquele país.

A Igreja do Senhor Jesus está fazendo a diferença no Haiti. A JMM agradece a todos os crentes brasileiros que se engajam pela transformação, por um novo Haiti.

Aqueles que quiserem apoiar a reconstrução dos templos, na construção de casas, centros de saúde e escolas no Haiti podem entrar em contato com Missões Mundiais pelos telefones 2122-1900 (cidades com DDD 21) e 0800 709 1900 (demais localidades) e adotar o Projeto 'Por um Novo Haiti'.
Postar um comentário